Monday, June 17, 2013

O Beemote brasileiro

Como está na moda entre vários internautas, também comentarei com propriedade sobre um assunto do qual não sou espcecialista: a onda de protestos realizados nas principais cidades do Brasil.  A princípio com o mirabolante e até imaturo pedido por transporte público gratuito, manifestantes tomaram as principais avenidas do centro paulistano ignorando inflação, reajustes salariais de motoristas e demais funcionários, valores de manutenção de veículos, subsídios já multimilionários pagos às empresas contratadas e o principal: o número limitado de transportadoras e a impossibilidade de entrada de novos prestadores de serviço neste ramo. Enquanto não se discutir a liberdade de atividade de novas empresas, apenas se discutirá a validade de se dar socos na ponta da faca (ou formas diferentes de fazê-lo). Isto tudo sem entrar na discussão sobre possíveis interesses político-partidários, já que havia bandeiras de corjas como PSTU, PC do B e PSOL nas manifestações.

Leia-se: "Não aumente a passagem, invente algum imposto que seja empregado no subsídio"
Nesta última quinta-feira (dia 13), no entanto, os protestos começaram a tomar um novo rumo. Após a violenta resposta da Polícia Militar paulista à movimentação dos participantes na manifestação, os grandes veículos de imprensa e parte da população têm se mostrado mais simpáticos aos manifestantes. Em Brasília e no Rio de Janeiro também houve passeatas, estas defensoras de maior sobriedade com os gastos de dinheiro público com a Copa. É uma causa válida, embora esteja alguns anos atrasada, mas o curioso foi ver como estas duas manifestações geraram dois mantras: "Não é mais pelos 20 centavos" e "Não importa a causa, o importante é protestar".

Não se sabe explicar exatamente qual é então o verdadeiro motivo agora que ele não se resume mais aos 20 centavos do reajuste do preço da passagem. São também a corrupção, a violência, a inflação, o mau uso de dinheiro público, dizem. É a oportunidade de criar um novo Brasil, afirmam sem explicar como o farão. Enfim, o protesto ter se tornado mais importante do que sua causa é uma subversão, pois troca-se o meio pelo fim: não importa mais que fechem as ruas devido à má administração da Petrobras, aos maus tratos a animais ou à saída de Paulinho do Corinthians, importa apenas admirar a "beleza" daquela catarse coletiva. Vandalismo? Ah, é apenas um efeito colateral! Quatro mil atrapalharem a vida de centenas de milhares? Oras, é a democracia (mentira, amigo que não sabe fazer contas. Isto é liberdade de manifestação)!

O escritor e diplomata brasileiro José Osvaldo de Meira Penna tem entre suas obras o livro O Espírito das Revoluções, onde disserta sobre grandes revoltas populares e defende as transições pacíficas realizadas através de reformas políticas. Comenta a Revolução Francesa, a Revolução Bolchevique e a "Revolução" Industrial, esta a única provedora de melhoria da qualidade de vida a médio e longo prazo para quem a vive. Meira Penna usa dois personagens bíblicos como alegoria no livro: como Hobbes, chama o governo de "Leviatã" e o povo, de "Beemote".

Este Beemote verde e amarelo saiu de sua toca e agora, aplaudido, agita-se por todo o Brasil sem saber o que quer, quem exatamente o acordou e aonde vai. E daí vem meu temor: esta besta, com toda sua força, já tem feito todo este barulho com ações desorganizadas e aleatórias. O que poderá fazer caso seja controlado e tenha suas ações direcionadas? E o mais importante: quem teria pulso firme suficiente para dominar esta criatura antes de sua exaustão? Aguardemos o desenrolar desta trama, apenas torcendo para que estes conflitos não cheguem ao primeiro óbito - apesar de, infelizmente, isto me parecer cada vez mais provável.

Toda revolução começa com uma faísca, depois se transforma num processo autofágico

2 comments:

  1. Sem comentários, simplesmente, sensacional.
    Gabi

    ReplyDelete
  2. Perfeito! De fato, o que está havendo é um perigo total, mas as pessoas acham que não, " o povo acordou" ... se tivessem acordado mesmo estaríamos vendo as pessoas pedindo mais liberdade econômica pra se empreender no país, no campo do transporte coletivo isso melhoraria os serviços, reduziria naturalmente os preços pela concorrência, além disso aumentar a oferta de trabalho, consequentemente reduzindo o desemprego. Mas não, infelizmente está muito longe ainda pra se ver a população entendendo o que é o Liberalismo, se interessante verdadeiramente pelo rumo da economia...

    Porque, o que acontece, até ontem ninguém fala um "a" sobre política, hoje todo mundo é protestante... Ok, ótimo protestar, mas protestar sem uma causa... e quando ouvem que eles não tem uma causa ficar respondendo só com " não é só pelos 20 centvs, é pela corrupção inteira" OK. E?

    Como pretendem acabar com a corrupção?! Cadê a causa que ninguém apresentou até agora? heheh

    Revolução onde se tem como objetivo manter a mesma merda de sempre = ESTATISMO. pra mim é revolução de fantoche mesmo...

    Revolucionários não, são Revoluciotários.

    ReplyDelete

comentários

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...