Monday, March 18, 2013

Conselhos ao meu filho inexistente

Bom, filho, nós nunca conversamos, principalmente porque você não existe, mas mesmo eu sendo um chucro já tem algumas coisas que eu posso ir te ensinando. Ouça atentamente porque não sei por quanto tempo o Blogger continuará ativo - e duvido que farei back-up destes posts. Muitos destes ensinamentos foram descobertos através do "eupirismo" e podem estar equivocados, mas cabe a você continuar testando-os.

Primeiramente, não lamente as oportunidades perdidas. Se não há como recuperar algo, bola para a frente e, se ainda tem como, corra atrás em vez de chorar por algo que esteja errado. Além do mais, há males que vêm para o bem: há quem acorde atrasado e escape duma queda de avião, quem perca um emprego em empresa que vem a falir e também quem leve um fora duma mulher que, mais tarde, se revela uma víbora mau caráter.

Não se sinta mal por não estar de acordo com a preferência das multidões. Se você pesquisar no Google ou qualquer outro site de buscas aí do futuro, vai descobrir que um tal de Michel Teló fez sucesso por todo o mundo em 2012. Se um aglomerado de gente cometeu um erro crasso desses, podem errar várias outras vezes. Fica aí uma lição importante: democracia não é sinônimo de liberdade.

Tudo tem sua hora - e a hora de ser adolescente não pode passar muito do começo da casa dos 20 anos, não importa o que digam na MTV.

Não pise nos outros. Antes de menosprezar alguém, pense em todos os motivos que outros também teriam para te discriminar e em como você se sentiria com isso.

Gestos valem muito mais do que palavras (principalmente quando você tenta investidas com uma mulher que diz "para!" sem fazer algo para que você realmente pare).

Já que o assunto é ousadia, seja ponderado em suas escolhas, mas não esqueça de consultar seu instinto. Com o tempo aprende-se qual dos dois tem prioridade e em quais situações é possível simplesmente ser inconsequente e leviano.

Escolha com cautela seus amigos, mas não seja criterioso demais - não considere isto como uma entrevista de emprego. Além da questão da quantidade, variedade faz bem para expandirmos nossos horizontes e nossas ideias. Até as más influências podem deixar uma contribuição positiva à formação do nosso caráter.

Falando em escolhas, torça por um time cuja torcida te agrade. Alegrias e tristezas podem ser proporcionadas por qualquer clube no mundo, mas a sensação de pertencer a uma família é única e nenhum título do mundo pode te proporcionar isso.

Conhecimento nunca é demais, mas se ele for focado é melhor. Por mais que se viva, não há tempo para aprender tudo, então escolha alguns assuntos que você considerar mais importantes e evite de perder tempo com superficialidades do que não te vai servir para nada.

Quando for escolher uma mulher, sempre dê prioridade à inteligência e a um bom senso de humor. Namorar uma cabeça oca, mesmo que seja uma über-gostosa, talvez impressione seus amigos e desconhecidos e certamente tem seus benefícios, mas quem vai ter que aturá-la dizendo atrocidades será apenas você.

Toque violão. Se até a crítica musical especializada pode ser generosa com músicos, imagine como agem umas garotas predispostas a "conhecer melhor" um rapaz com um violão. Você pode até ter um repertório ridículo, apenas não seja um músico ridículo - às vezes a mediocridade já serve. Claro, esse é o primeiro passo, depois disso você está por conta própria. Se eu soubesse administrar bem a fase posterior, talvez você já estivesse aqui para ouvir tudo isso.

Então é isso aí, Totò. Por hoje é isso que tenho para te dizer

3 comments:

  1. Adorei seus conselhos e concordo com todos eles. Ainda adicionaria mais um, se você me permitir:

    - Dê mais valor às coisas feitas do que às compradas.

    Bjos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Depois ainda pensei em mais um ou outro, mas esse seu também é novo - e valioso!

      Delete

comentários

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...