Monday, September 21, 2015

Sobre o tal do CrossFit

Como dito em um post anterior, eu havia começado a praticar CrossFit e escreveria algo quando tivesse uma opinião mais sólida a respeito dessa atividade física. Nesta segunda-feira decidi trocar meu plano trimestral que acabava por um anual e, por isso, acho que a hora já é oportuna para escrever a respeito do assunto. Mas o que é CrossFit?

A modalidade esportiva é uma febre crescente com cada vez mais praticantes pelo Brasil. Assim como era comigo, creio que muitos já ouviram falar a respeito ou viram fotos e relatos de colegas praticantes, incluindo aí fotos de pessoas suadas, esparramadas pelo chão, com caras e roupas sujas (de poeira e pó de magnésio) e até com calos rompidos nas palmas das mãos ensanguentadas. Soa horroroso e às vezes é mesmo, mas CF é muito mais do que choro e ranger de dentes. É uma atividade criada nos anos 90 nos Estados Unidos para aliar força e condicionamento físico com o uso de levantamento de pesos, exercícios aeróbicos, corrida, ginástica e calistenia, entre outras atividades.

Apesar da imagem um pouco assustadora que criei inicialmente, fiquei curioso para conhecer o CrossFit. Pensei que cada "box" (como são chamados os espaços) eram pequenos quartéis, com treinadores prontos para esculachar quem não conseguisse realizar o treino. Também pensei que, pela intensidade dos treinos, seria preciso já me inscrever preparado para um teste físico dos Fuzileiros Navais - o que não faz o menor sentido, é óbvio. Amigos e amigas contaram como, na verdade, o esporte não é um clubinho fechado e que ele está de portas escancaradas para iniciantes. Além de suas palavras, suas evoluções de condição física contaram muito para me convencer de que CF trazia resultados.

Além dos meus amigos, os alunos dum box próximo de casa "acidentalmente" me ajudaram a visitar e, mais tarde, frequentar o box Torden. Os treinos (ou "WOD", work out of the day) normalmente duram uma hora cada, são compostos de várias atividades diferentes e em alguns deles é preciso correr na rua. O democrático e acelerado desfile de homens e mulheres, pessoas saradas e gordinhas, altas e baixas, novas ou já de cabelos brancos é a melhor publicidade que o box pode fazer para quem mora perto dele: é nesta hora que se vê como o CF é feito para receber a todos e como ele transforma seus frequentadores positivamente.

Fui então até o Torden para uma aula experimental. Ela foi longa e pesada para alguém não apenas sedentário, mas que sempre fugiu das atividades aeróbicas - mesmo quando caí dos 100 para os 70 e alguns quilos. Os professores Michel e Andres me acompanharam e, nesta aula e em todas as posteriores, sempre foi nítido como são atentos à execução correta dos exercícios e à capacidade de cada aluno. Confesso que no começo até estranhei essa observação mais próxima dos treinadores, já que eu estava acostumado aos professores de musculação de academia - normalmente mais atentos às frequentadoras gostosinhas ou aos rapazes da turma mais marombeira.

As aulas são em turmas com número limitado de participantes, o que permite esse cuidado maior e também impede "migués", exercícios roubados e enrolação. Gostei desta primeira aula e, sinceramente, precisava de alguma atividade intensa, ainda mais por estar plantado em cadeiras quase o dia todo devido aos estudos e à natureza de meu trabalho. Depois desta aula fiz minha inscrição, uma avaliação física e três aulas de fundamentos para fixar as formas mais comuns de levantamentos de barra, agachamentos e "presses" (empurrões com a barra).

Ainda sobre as aulas em turma, é justo que eu também destaque o bom ambiente criado pelos meus colegas de WOD. Fui muito bem acolhido desde o primeiro dia, seja com conselhos, dicas de como realizar os movimentos corretamente e até incentivos, como no meio duma corrida ou quando eu não acreditava que poderia aumentar os pesos a serem levantados. E esse apoio veio de alunos poucos mais experientes do que eu, assim como dos que eram referência no box. 

Uma aula da qual participei. Em destaque, dois troféus conquistados pelo box numa competição em Valinhos: primeiro lugar para a equipe feminina e terceiro para a masculina
Passados cerca de três meses de aula, já posso sentir alguns resultados positivos, mesmo fazendo apenas três aulas semanais. Começo a notar ganho de massa muscular, além de alguma perda de gordura. Mais importante ainda do que isso, noto que meu fôlego tem melhorado e que agora consigo correr uma distância maior sem botar a língua de fora - isso é progresso para quem tinha os pulmões dum coala. Também passei a me alimentar melhor: antes eu comeria algo pesado crente de que compensaria o excesso na musculação no dia seguinte (o que não era feito, claro) enquanto agora penso duas vezes antes de comer alguma "porcaria" por saber que isto pode prejudicar meu treino.

Portanto, fica minha recomendação: se tiver a oportunidade, experimente uma aula de CrossFit. A cada mês surgem novos boxes por aí, assim como crescem até as competições, mesmo internas de cada box. Creio que nem todos surjam com o excelente nível que conheci na Torden, mas a experiência é muito recompensadora e significa muito mais do que ganho de massa muscular. Os treinos e exercícios são pensados com variações para que eles sejam desafiadores para o novato e para o "crossfiteiro" (??)  que compete, por isso qualquer pessoa pode praticar o esporte, se sentir testada arduamente - e proporcionalmente recompensada.

2 comments:

  1. Show! Parabéns bro, pelo blog e pela vontade de melhorar q te levou a praticar esse esporte!

    ReplyDelete

comentários

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...